Pólo
O seu jornal de notícias impresso e na internet!

JORNAIS DA EMPRESA JORNALÍSTICA ACRM

Home Contato Culinária Diversão Editorial Educação Empresa Imóveis Negócios Notícias Parceiros Poesias Policial Política Saúde

Aedes Aegypti ou pernilongo, aprenda a diferenciar as duas espécies de mosquito

Por: Riselda Morais

Aedes Aegypti
Pernilongo (Culex)
Com o aumento das chuvas, a descoberta que o Zica Vírus pode causar a microcefalia, o aumento dos casos de dengue e da Chikungunya a preocupação da população, em especial das mulheres que querem ser mães aumentou. Encontrar um mosquito dentro de casa ou ser picado por um é preocupante, a eliminação do mosquito é a única forma de prevenir-se das doenças e para conseguirmos eliminar a espécie é importante que saibamos reconhecer o mosquito e conhecer seus hábitos.
Os dois mosquitos têm hábitos bem diferentes em relação a criadouros, horários de suas atividades e capacidade de transmissão de doenças. Enquanto o pernilongo tem coloração marron, é pequeno e ágil, faz zumbido ao voar e tem hábitos noturnos, o Aedes Aegypti é escuro com marcações brancas no corpo e nas pernas, também é ágil mas silencioso ao voar, tem hábitos diurnos, é perigoso por transmitir doenças como a Dengue, Febre Chikungunya e a Zica, essas são algumas das diferenças entre as duas espécies de mosquito que deixam muitas pessoas na dúvida.
O aedes aegypti se reproduz em água limpa, qualquer lugar pode ser um criadouro, desde uma tampa de garrafa até uma caixa d’água aberta, suas larvas não sobrevivem em água poluída e ataca em plena luz do dia.
O pernilongo se reproduz em água suja de rios, córregos, esgoto a céu aberto ou qualquer outro lugar que tenha água rica em matéria orgânica e ataca a noite.
O que há em comum entre esses dois mosquitos é que todo o seu ciclo de vida, o acasalamento e a postura dos ovos, se dá dentro ou próximo de domicílios, eles se alimentam de sangue, espreitam as pessoas dentro de casa até ter a oportunidade de lhes picar e sugar o sangue necessário para produzir seus ovos.
A única forma de eliminar o mosquito Aedes Aegypti é eliminando os criadouros, os reservatórios de água limpa e parada: tampar caixas e tonéis de água, desentupir ralos que possam acumular água, jogar fora pneus velhos, evitar deixar garrafas e recipientes que possam acumular água da chuva em área descoberta e virá-los de cabeça para baixo, eliminar pratinhos com água embaixo dos vasos de planta, esta guerra depende de todos nós. Já para eliminar o criadouro do pernilongo, água contaminada acumulada nos córregos e rios, nos esgotos a céu aberto é de grande importância para a saúde pública, pois podem causar diversos problemas à população e depende também de nós e do poder público.
Segundo pesquisadores, o Aedes Aegypti é um mosquito totalmente diurno, está mais ativo no início da manhã e no fim da tarde, se alimentando de sangue para maturar os ovos, é arisco , foge ao primeiro movimento brusco.
O pernilongo é um mosquito noturno, que prefere se alimentar no horário em que as pessoas estão em repouso. À noite, no escuro, ele é atraído pelo gás carbônico emitido na respiração humana, voando próximo do rosto, e só depois escolhe um local para picar. É por isso que costumamos ouvir zumbidos tão característicos de sua aproximação. Apesar das diferenças os dois mosquitos convivem bem dentro de residências e buscam os mesmos abrigos: debaixo de mesas, atrás de móveis, entre cortinas e em nichos de estantes.
A diferença entre as larvas podem ser percebidas. As larvas do Culex ou pernilongo têm o tórax e a cabeça maiores e ficam espalhadas por todo o criadouro; já as larvas do Aedes ficam nos cantos mais escuros e fogem dos feixes de luz mais rápido. Já o tempo de desenvolvimento das larvas é praticamente o mesmo, leva de 8 a 10 dias no verão. Ainda segundo pesquisadores, os ovos das duas espécies são muito diferentes.
O Aedes aegypti põe os ovos na parte úmida próxima à lâmina d’água e não diretamente na água. Eles são capazes de ficar até um ano no seco e permanecer viáveis, capazes de originar mosquitos adultos quando encontram as condições propícias para eclodir. Juntas, essas características são muito importantes para a dispersão do mosquito e para a epidemiologia da dengue, uma vez que os ovos podem ser carregados para outras regiões pela ação humana e resistir até as chuvas do próximo verão, dificultando as ações de controle.
Outra característica importante para a epidemiologia da dengue e Zica é que a fêmea do Aedes aegypti costuma depositar seus ovos em diferentes criadouros na mesma postura.
O pernilongo coloca seus ovos diretamente na água, sempre todos juntos, no mesmo criadouro. Envolvendo cada um deles existe uma substância viscosa que os prende uns aos outros, formando uma “jangada”, formada por dezenas de ovos de pé, grudados entre si, flutuando na superfície da água. Os ovos do pernilongo não têm resistência à dessecação e murcham quando retirados da água, não sendo mais viáveis.
A quantidade de ovos colocados pelos dois mosquitos depende muito da quantidade de sangue ingerido, que é necessário para a maturação dos ovos. Em geral, as duas espécies costumam colocar cerca de cem ovos por postura, mas esse número pode chegar a 150 ou 200.

 

VOLTAR

ATENÇÃO: Melhor visualização em resolução de 1024x768

© Riselda Morais