Pólo
O seu jornal de notícias impresso e na internet!

JORNAIS DA EMPRESA JORNALÍSTICA ACRM

Home Contato Culinária Diversão Editorial Educação Empresa Imóveis Negócios Notícias Parceiros Poesias Policial Política Saúde
EDITORIAl

Saber ouvir é característica de pessoas inteligentes

Especialista em Comunicação e Mercado, jornalista e editora
Riselda Morais
il

Nas relações familiares, em sala de aula, em palestras e principalmente no trabalho saber ouvir é condição indispensável para o sucesso


Por: Riselda Morais

Saber ouvir com atenção, interesse e respeito é uma característica importante das pessoas criativas. As soluções criativas de problemas requerem o conhecimento de todos os aspectos relevantes da situação e, na maioria das vezes, as informações vêm do diálogo com pessoas envolvidas ou afetadas pelo problema. Garimpar informações exige boas habilidades de comunicação, especialmente a de ouvir com atenção e sem preconceitos.
Os 6 maus hábitos que você deve combater - Os ouvintes desatentos e ineficazes apresentam um ou mais dos seguintes maus hábitos de escuta. Faça uma reflexão honesta e veja em quais deles você se enquadra sempre, às vezes ou nunca.
O Enganador - Todos os sinais externos estão presentes: balançando a cabeça, contato visual e murmurando ocasionalmente "Hum, Hum". Contudo o enganador não está concentrado na mensagem. Sua mente está vagando, muito longe.
O Interrompedor - Ele não deixa a outra pessoa terminar sua fala, não faz perguntas esclarecedoras e nem procura por mais informações. Ele está muito ansioso para falar e mostra pouco respeito pelo interlocutor.
O Racional (ou Lógico) Está sempre tentando interpretar o que o interlocutor está dizendo e por que. Ele julga prematuramente as palavras do orador e tenta enquadrá-las num modelo lógico. Raramente procura prestar atenção nos sentimentos e emoções que estão por trás da mensagem.
O Egocêntrico - Esta pessoa usa as palavras do interlocutor unicamente como um meio para falar sobre si. Quando o orador diz alguma coisa, qualquer coisa, ela se apossa do tema e muda o foco para suas opiniões, histórias ou fatos.
O Argumentador - Escuta o suficiente para usar as palavras do interlocutor contra ele. No pior caso, é uma pessoa que quer provar que a outra está errada. Na melhor hipótese, quer que o interlocutor considere outros pontos de vista, bancando o advogado do diabo. Em todos os casos resulta numa interferência inoportuna.
O Conselheiro - Interfere na comunicação, pois não permite ao orador articular completamente seus pensamentos e sentimentos. Não ajuda o interlocutor a resolver seus problemas, mostra falta de tato e deprecia o orador perante os outros ouvintes.
A chave para nos tornarmos bons ouvintes é assumir um comportamento ativo, saindo da passividade. Uma pessoa com bons hábitos de ouvinte se concentra no orador, interpreta suas palavras, avalia seus significados e responde efetivamente. A lista a seguir apresenta as sete atitudes chaves para se tornar um ouvinte atento e efetivo.
1. Procure por áreas de interesse
Motive a si mesmo perguntando: "O que há de bom e interessante para mim?" Preste atenção e se concentre no orador procurando idéias, pontos de vista, informações e comentários interessantes e valiosos.
2. Julgue o conteúdo e não a pessoa
Mantenha uma atitude positiva e focalize o que está sendo dito - o conteúdo da mensagem. Não deixe sua concentração ser desviada por falhas irrelevantes no desempenho do orador, por sua aparência ou por seus sentimentos em relação a ele. Mostre respeito pelas pessoas e aceite as diferenças.
3. Segure seus julgamentos
Ao ouvir idéias diferentes das suas, evite reações apressadas de defesa de seus pontos de vista. Tenha paciência, espere o interlocutor completar seu raciocínio para que você possa compreender integralmente o seu ponto de vista. Mantenha uma mente aberta e respeite os sentimentos e o direito das pessoas terem seus próprios pensamentos.
4. Focalize as macro idéias
O bom ouvinte procura identificar e focalizar as macro idéias da mensagem ao invés de se concentrar em cada palavra. Ele procura pelos princípios, conceitos e suposições nos quais o orador fundamenta sua mensagem. Esta estratégia favorece a concentração, serve para organizar o conteúdo e facilita a compreensão da mensagem.
5. Seja um anotador flexível e seletivo
Não tome nota de tudo que ouvir, pois isto ocasionará a perda de informações importantes. Anote as idéias e pensamentos mais importantes que expressam os princípios, conceitos e suposições que fundamentam a mensagem.
6. Resista a distrações
A melhor maneira de evitar distrações é fugir da passividade e adotar um comportamento mais ativo. Mantenha contato visual com o orador ou interlocutor e use expressões faciais discretas para mostrar sua concordância ou dúvidas sobre um ponto de sua mensagem. Nos momentos adequados faça comentários e pedidos de esclarecimentos. Estes hábitos forçam o ouvinte a ficar mais atento de modo a ter condições de formular perguntas e comentários inteligentes.
7. Resuma mentalmente
O ato de resumir mentalmente favorece a memorização do que foi ouvido e ajuda a se manter concentrado na mensagem. Converse consigo mesmo coisas como: "Ah, eu entendo; o que ele diz significa ABC; isto parece se conectar com o que ele disse sobre XYZ". Com este hábito você poderá contornar o problema criado pelo fato de que o pensamento é mais rápido do que a fala. O truque de resumir mentalmente evita que seu pensamento seja desviado para outros assuntos.
A adoção destes bons hábitos requer um esforço permanente. Após cada evento como ouvinte, faça uma reflexão e veja onde necessita melhorar. O cultivo de bons hábitos requer paciência e persistência!

 

 

VOLTAR

ATENÇÃO: Melhor visualização em resolução de 1024x768

© Riselda Morais