Roubo de rodas: número expressivo assusta em São Paulo

Uma nova modalidade de furto está assustando os moradores de São Paulo, o roubo de rodas e pneus. Na capital paulista, existem muitas ocorrências registradas, onde os proprietários dos veículos foram surpreendidos com seus carros sem rodas e pneus, muitas vezes o veículo é deixado sobre macacos, tocos de madeira ou no próprio solo, o que ainda pode danificar outras partes do carro, fora o enorme prejuízo pelo furto do material rodante.
            E não é somente o roubo de rodas e pneus externos que preocupa, há também o furto de estepe, onde muitas vezes o veículo é arrombado pelos ladrões, que buscam exatamente o pneu ou roda sem uso que fica acondicionado no porta-malas. Entre março e maio de 2017, o número de ocorrências foi de 168 casos, mas isso foi somente na zona leste da metrópole, onde a maioria dos furtos ocorre, segundo levantamento da Polícia Civil.
            No total, segundo a Lei de Acesso à Informação, São Paulo registrou 416 casos de furto de rodas no primeiro semestre de 2017, o dobro do registrado em 2013, por exemplo. A Zona Leste é responsável por metade dos roubos, segundo os dados. Mas, o número é ainda maior, visto que muitos donos de carros furtados acabam não prestando queixa devido à baixa expectativa de solução. Alguns proprietários reclamam na demora de atendimento para fazer um boletim de ocorrência.
            Sem solução, os proprietários acabam por ficar no prejuízo em muitos casos, variando os valores, que podem chegar a dezenas de milhares de reais, dependendo do tipo de tamanho das rodas, bem como das medidas e qualidades dos pneus, isso sem contar a marca do veículo. Há seguro para proteção contra esse tipo de situação, mas ainda assim o proprietário precisa pagar a franquia para não ficar totalmente no prejuízo.
            A Polícia Civil investiga desde 2016 a ação de quadrilhas especializadas em roubo de rodas e pneus na cidade. Foram mapeados 10 bairros da capital paulista com índices de roubo de rodas mais elevados, sendo a maioria na Zona Leste. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, cerca de seis pessoas foram presas em flagrante entre março e maio.
            A pasta divulgação que houve redução de 12% nas ocorrências e que investigações estão sendo feitas em oficinas e desmanches suspeitos de receptação de pneus e rodas furtados.
            Nas áreas de risco, o roubo de rodas se tornou algo comum. No bairro da Mooca, por exemplo, uma loja de pneus e rodas vende em torno de quatro jogos a cada semana somente para donos de carros que foram alvo dos ladrões. Muitos relatos falam de membros da mesma família que tiveram pneus e rodas furtados na região da Zona Leste. Os carros preferidos são os populares mais vendidos. O Hyundai HB20, por exemplo, teve 30 casos registrados, enquanto o Chevrolet Onix outros 26 em 2017, na capital paulista.
            O bairro da Mooca foi o líder de furto de rodas em 2016 com 47 casos, mas no primeiro semestre, o índice caiu para 10. Uma quadrilha que atuava na região do Ipiranga foi presa, segundo a Polícia Civil. O bairro aparece com o maior índice de furto de rodas em 2017. Mas não é somente nesses bairros da Zona Leste, a mais populosa da capital, que os roubo de rodas acontecem com frequência.
            Na Zona Sul, por exemplo, existe até um endereço específico com 13 casos registrados em 2017. Na avenida Presidente Wilson, 6.752. No local, funciona um pátio do Detran, onde ficam veículo apreendidos por pendências judiciais. Ou seja, os ladrões estão se aproveitando de falhas na segurança do local, sob custódia do estado, para praticar o furto de rodas e pneus. O órgão responsável pelo local disse que vai levantar o muro e contratou uma equipe de segurança 24 horas, além de ressarcir os prejuízos dos proprietários dos carros.
            Para se proteger, muitos donos de veículos acabam colocando parafusos de rodas anti-furto, que possuem segredo. Nas lojas do ramo, o conjunto de quatro parafusos pode variar de R$ 30 a R$ 200. De acordo com um lojista, existem parafusos com até 8 mil combinações. A procura por esses dispositivos subiu 15% em 2017. Mas, onde ocorre com mais frequência o furto de rodas? O mapeamento feito pela Polícia Civil relaciona abaixo os 10 bairros com maior índice de roubo de rodas na cidade de São Paulo em 2017: Ipiranga – 27 casos, Vila Carrão – 20, Vila Formosa – 19, Mooca – 18, São Mateus – 18, Aricanduva – 14, Parque São Lucas – 13, Santo Amaro – 13, Vila Prudente – 13.  Fonte: Revista Veja SP/Folha